NUTRICIONISTA
Agosto 04, 2016
Autor / Fonte: Elderly


NUTRICIONISTA

O cuidado na alimentação do Idoso

Com o aumento no ritmo de envelhecimento da população brasileira, torna-se fundamental planejar e desenvolver ações de saúde que possam contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos idosos brasileiros. O alimento é fundamental para a manutenção de todos os nossos processos vitais. Ele nos fornece a energia necessária para a manutenção destes processos. Os primeiros registros da associação da alimentação à saúde foram cerca de 2500 anos atrás, no qual o filósofo Hipócrates, pai da medicina pregava: "Que o teu alimento seja o teu remédio e que teu remédio seja o teu alimento", ele o pioneiro na utilização de alimentos no tratamento e prevenção de doenças. 

A escolha de alimentos e os hábitos alimentares dos idosos são afetados não apenas pela preferência, mas também pelas transformações que acompanham a experiência de envelhecer em nossa sociedade. Alterações naturais nos mecanismos de defesa do organismo ou dificuldades no processo de mastigação e deglutição podem tornar a pessoa idosa mais suscetível a complicações decorrentes do consumo de alimentos, o que reforça a necessidade de cuidados diários para preparar refeições seguras.

Nesses casos, moer, ralar, picar em pedaços menores podem ser alternativas viáveis para facilitar o planejamento das refeições e o consumo, evitando a recusa da refeição e complicações como engasgo, aspiração ou asfixia durante a ingestão dos alimentos. O idoso possui redução de diversas propriedades do organismo, além de alterações na alimentação, encontram-se as funções digestiva, absortiva, gástrica e intestinal. 

O prato típico nacional, composto de arroz, feijão, carne, salada e vegetais, é uma ótima pedida.Devemos sempre ficar atento as preparações pastosas, como sopas e papinhas, pois estas não estão na sua forma íntegra, não fornecendo aporte calórico necessário ao idoso. Se houver dificuldade de mastigação, o leite, ainda que o de soja em caso de intolerância à lactose; bem como peixes ou ovo, são ótimas fontes de proteína, além da carne que é a melhor fonte.No caso dos legumes, para facilitar devem estar bem cozidos e macios. Quanto às frutas e vegetais, podem ser ingeridos sob a forma de sucos.

Os familiares e cuidadores devem estar sempre atentos aos hábitos alimentares dos idosos, verificando quantidades e variedades ingeridas a cada refeição. A alimentação inadequado pode ser consequência de doenças graves, dentre elas, encontramos a depressão, que reflete diretamente na alimentação.A perda do cônjuge ou de pessoa próxima é um dos principais fatores de perda de apetite e isolamento.

Em caso de visível perda ou ganho de peso repentinos, é necessária avaliação médica para investigação das causas. Além da avaliação médica, é de muita importância o papel da nutricionista, pois esta profissional é a mais indicadaa para o uso correto de suplementos vitamínicos, fórmulas nutricionais especiais para idosos, elaboração de cardápios direcionados a deficiência de cada idoso e prescrição de fórmuls enterais adequadas. Assim como os medicamentos,a alimentação deve ser decidida sob orientação de profissional especializado. 

Anelise Serpa de Menezes

Nutricionista

CRN 9025